Super User

Super User

31 Oct 2013

A Prefeitura de Jahu, por meio da Secretaria de Desenvolvimento, Trabalho e Agronegócio, em parceria com a empresa Comcorp, anunciaram nesta quarta-feira (3/7) o retorno à cidade da Jaú Trend Show, feira do interior paulista de calçados e acessórios. A 10ª edição da exposição será realizada entre os dias 10 e 12 de novembro de 2013 no Centro de Convenções Sebastião Camargo. Em 2014, a 11ª edição está prevista para 18 a 20 de maio no mesmo local.

A Jaú Trend Show nasceu em Jaú em 2009 e teve sete edições na cidade. Depois, em 2012, foi para Ribeirão Preto. Agora retorna às origens. A volta da feira a Jaú faz parte das ações de governo do prefeito Rafael Agostini, que deu a notícia em entrevista coletiva, na qual participaram o secretário de Desenvolvimento, Trabalho e Agronegócio de Jaú, Jorge Luiz Alcalde, o diretor da Comcorp (organizadora), Caíque Paes de Barros.

31 Oct 2013

23A marca John & Soffner surge por uma brincadeira de seus sócios-proprietários através da junção de seus respectivos nomes e sobrenomes e, sendo assim, a empresa concretizada surge no mercado no final do ano de 2010, com várias linhas de calçados, de modo a abranger os mais variados públicos, que têm um ponto em comum: a paixão por sapatos!

Trabalhando com os mais diversificados e diferenciados materiais do ramo, destacados em Couro, PVC, P.U., Algodão Colorido Ecológico (Autorizado pela EMBRAPA), Tecido, T.R. e Top Rubber, a John & Soffner visa manter a qualidade de seus produtos de modo a priorizar a satisfação de seus clientes.
E para que isso aconteça, a empresa encontra-se antenada no que há em tendências e novidades no mundo do calçado feminino.

21 Nov 2013

É uma empresa sólida que atua no mercado de calçados femininos há anos, produzindo calçados de excelente qualidade com muito talento, mas com toda beleza e charme que lhe é peculiar e único.

Seminário Preparatório da Couromoda ocorreu em SP

Foto: DivulgaçãoEvento anunciou novidades para 2014 e ferramentas disponíveis para otimizar a visitação.

Expositores da São Paulo Prêt-à-Porter e da Couromoda prestigiaram o Seminário Preparatório realizado pelo Grupo Couromoda, em 11 de novembro, em São Paulo, que anunciou as novidades para as feiras de 2014, as ferramentas disponíveis para otimizar a visitação nos estandes e ações conjuntas entre as feiras com foco em incrementar ainda mais os resultados dos industriais.

O presidente do Grupo Couromoda, Francisco Santos, deu boas-vindas aos expositores e explicou que o encontro em São Paulo conclui uma série de eventos realizados no interior e em outros Estados como forma de levar aos expositores mais informações sobre as feiras e mercado.

“Realizamos este evento em uma série de locais, entre eles Novo Hamburgo/RS e Franca/SP, e não podíamos deixar de incluir no cronograma a capital paulista, já que temos 200 expositores na Grande São Paulo. Dessa forma procuramos trazer para os expositores o clima positivo de Couromoda e de São Paulo Prêt-à-Porter, temos a possibilidade ouvir os expositores e de levar a cada participante mais informação de mercado”, explicou Santos.

Ações São Paulo Prêt-à-Porter e Couromoda 2014

O programa teve início com a apresentação da gerente de comunicação do Grupo Couromoda/São Paulo Prêt-à-Porter, Juliana Lorenzato, e do diretor geral do Grupo Couromoda/São Paulo Prêt-à-Porter, Jeferson Santos, sobre cada uma das feiras seguida pelas ações conjuntas. “Couromoda registra 80.000 visitas profissionais, que inclui o incremento de 2.000 internacionais. Estamos ampliando as ações tanto no mercado interno quanto no exterior em especial na Europa, Oriente Médio e América Latina”.

Já São Paulo Prêt-à-Porter como feira de confecções e acessórios tem entre suas características principais o fato de ser realizada na capital paulista e este conceito tem sido fortalecido junto ao varejo. “São Paulo Prêt-à-Porter é de fato uma cidade lançadora de tendências que depois são replicadas para todo País. Além disso, é o principal polo econômico da América Latina. Para 2014, as ações de visitação nesta região foram ampliadas”, complementouJuliana Lorenzato. 

Além dos lançamentos dos expositores outra ação vem atraindo cada vez mais lojistas. “Para a São Paulo Prêt-à-Porter 2014 continuaremos a investir no Fórum de Moda como iniciativa de atualização profissional que tem mobilizado cerca de 1.400 participantes, favorecendo o aumento da permanência do lojista no evento”, pontuou Jeferson Santos.

A gerente de comunicação, Juliana Lorenzato, esclareceu a importância do envio de material dos expositores para os portais. “Ambos divulgam notícias nos expositores o ano todo, trata-se de mais um serviço oferecido aos expositores”, complementou.

Entre as novidades de Couromoda 2014 um dos destaques é a campanha “Ótimos negócios, todos os dias”, que incentiva a visitação e a permanência até o quarto dia da feira, com direito a sorteios entre os visitantes que estejam no pavilhão nos últimos momentos de exposição. Além disso, movimentando as noites da feira, estão previstos diversos eventos de confraternização e relacionamento para expositores, lojistas e representantes comerciais.

Viagem e Hospedagem

Quanto às ações conjuntas o destaque é a parceria com o VoeTur que tem como resultado os sites Prêt-à-Porter Viagens e Couromoda Viagens plataformas que oferecem passagens aéreas, hotéis e pacotes para as feiras com todo conforto, segurança e ótimas condições de pagamento (www.couromodaviagens.com.br ewww.pretaporterviagens.com.br).

“Uma empresa promotora de feiras preocupada em facilitar a vinda dos lojistas aos eventos é algo inédito. Nos sites é possível obter preços diferenciados para embarques três dias antes e três dias após as feiras. Recomendamos que os expositores e visitantes se antecipem para garantir os melhores preços. É essencial que não apenas as feiras, mas também os expositores divulguem aos lojistas esta facilidade”, disse o diretor da VoeTur, Wagner Ferreira.

Como otimizar os resultados nas feiras

Um dos pontos-chave do encontro foi a palestra “Como maximizar e ter ótimos resultados nos eventos”, comFernando Lummertz, administrador, jornalista e escritor. “Os principais erros cometidos pelos expositores que fazem com que o resultado nos eventos não seja o esperado estão relacionados a ações muitos simples. A comunicação eficiente, por exemplo, é essencial e merece atenção redobrada no pré-feira, durante e no pós”. Clique aqui e saiba mais

Análise e expectativas do varejo de moda

A última parte do programa ficou por conta de um bate-papo com moderação do diretor do Fórum Couromoda, Airton Manoel Dias, com a presença do presidente da Ablac – Associação Brasileira dos Lojistas de Calçados e da Rede Azul Calçados, Antoniel Lordelo; do presidente da Abiacav – Associação Brasileira das Indústrias de Artefatos de Couro e Acessórios de Viagem, Vidal Veicer; do presidente da Rede Pontal Calçados, Manoel Kherlakian, e do diretor da Resolução Assessoria de Moda, Silvio Chadad.

Airton Manoel Dias questionou os participantes sobre os resultados de 2013 e as expectativas com 2014. “Como vocês que atuam no setor analisam as principais datas de 2013 para o varejo e como acreditam que será 2014 – um ano de Copa do Mundo no Brasil e Eleições?”

Dias chamou atenção para as projeções positivas de diferentes entidades e órgãos de estudos de mercado, como o Instituto de Desenvolvimento do Varejo (IDV), segundo as quais o setor de vestuário e calçados deverá obter crescimento de 9,5% em suas vendas até dezembro, ante 7,5% do varejo em geral.

Para Antoniel Lordelo, algumas datas surpreenderam e outras foram impactadas pelas variações climáticas. “O clima pode ajudar ou não e o Dia das Mães não foi favorável em 2013, pois as temperaturas estavam altas demais para vendermos botas. O Dia dos Namorados foi bom e o Dia dos Pais teve resultados excelentes, representando uma retomada para o varejo. Tradicionalmente quando o Dia dos Pais é bom, como foi este ano, o Natal também segue na mesma direção. Em 2014, teremos o efeito jogos, em que as lojas fecham no momento em que a seleção está em campo e perdem vendas; e o efeito Copa, com mais movimento, turismo e compras. O importante é ter criatividade para aproveitar o melhor dessa situação”.

Kherlakian traçou um panorama das vendas na Pontal em 2013 nas principais datas para o varejo. “O Dia das Mães por conta da mudança de temperatura ficou abaixo das expectativas. Já no Dia dos Namorados tivemos crescimento em relação a 2012 e o Dia dos Pais foi muito bom. Sobre 2014, acredito que a Copa deve favorecer o crescimento do varejo, o que preocupa é a inflação”.

Já Chadad acredita em perspectivas positivas para os próximos Dia dos Pais e Dia dos Namorados. “O Dias dos Pais deve seguir estável nos próximos anos. Vejo o Dia dos Namorados relacionado ao imediatismo do jovem e por esse motivo deve continuar em crescimento. Já o Dia das Mães depende do planejamento do varejo, as mães mudaram, hoje são muito mais jovens e não me refiro à idade, mas ao comportamento”.

Para Vidal Veicer, 2014 promete desafios. “Inovar será essencial, pois o varejo está se transformando. Quem não se modernizar para adaptar-se às necessidades de compra poderá ter problemas no futuro”.

 

Fonte: http://exclusivo.com.br/noticias/fabricante/-seminario-preparatorio-da-couromoda-ocorreu-em-sp

Foto: DivulgaçãoNúmeros equivalem a uma semana, ao todo, são 895 mil pares retidos.

O impasse com a Argentina segue acumulando prejuízos para os calçadistas brasileiros. Conforme levantamento realizado pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), em uma semana os argentinos barraram mais de 150 mil pares do produto verde-amarelo. Agora já são 895 mil pares retidos, o que equivale a um prejuízo de mais de US$ 17,7 milhões.

 O presidente-executivo da Abicalçados, Heitor Klein, ressalta que, em alguns casos, os calçados estão retidos desde julho deste ano. “O prazo estabelecido pela Organização Mundial do Comércio – OMC – para a liberação é de 60 dias. O caso se torna ainda mais grave por acontecer no âmbito do Mercosul”, reclama. Segundo o executivo, é inaceitável que o Governo Federal aceite as restrições que deterioram o segundo mais importante mercado para o calçado brasileiro. “Já não bastassem os problemas de competitividade que enfrentamos, ainda arcamos com o ônus da passividade oficial na questão”, acrescenta. 

 O receio da Abicalçados é de que os entraves impostos pelo governo Cristina Kirchner ocasionem cancelamentos, visto que o calçado negociado corre o risco de não estar nas vitrines argentinas para as festas de final de ano. “Muitas empresas estão desistindo de exportar para a Argentina, o que é lamentável, pois existe uma demanda grande por calçado brasileiro no País. Estamos assistindo a deterioração do nosso, ainda, segundo principal mercado além-fronteiras”, conclui Klein. 

 Recente pesquisa da Abicalçados com associados apontou que 39% das empresas ouvidas desistiram de exportar para a Argentina devido a imprevisibilidade dos negócios.

QUEDA LIVRE - As exportações brasileiras de calçados estão em queda livre para a Argentina. Em setembro as exportações caíram 44% em dólares e 67,7% em pares no comparativo com o mesmo mês do ano passado. Naquele mês, os “hermanos” importaram 866,5 mil pares pelos quais pagaram US$ 11,4 milhões. A tendência, mantidas as barreiras, é de queda ainda maior até o final do ano. 

ENTENDA - O governo argentino instituiu, em 2012, a necessidade da Declaração Juramentada Antecipada de Importação (DJAI), burocracia que obriga o exportador declare suas intenções de investimento em solo argentino através da política informal do uno por uno (para cada dólar importado um deve ser investido no País). Na prática, a política visa, através de uma manobra protecionista, equilibrar a balança comercial argentina. Alguns calçados brasileiros aguardam liberação desde julho. A Abicalçados alerta para o risco de cancelamentos.

Fonte: http://exclusivo.com.br/noticias/fabricante/argentina-barra-mais-150-mil-pares-brasileiros

Foto: DivulgaçãoAbrameq realiza evento para apresentar novos projetos em parceria com o SinmaqSinos

O SinmaqSinos (Sindicato da Indústria de Máquinas e Implementos Industriais e Agrícolas de Novo Hamburgo) e a Abrameq (Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas para Couro e Calçados) realizam, no dia 18 de novembro, a partir das 11h, no Hotel Locanda, em Novo Hamburgo/RS, um evento para o lançamento de dois novos projetos.

Um deles é o Procompi (Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Empresas), em parceria com a Confederação Nacional da Indústria - CNI, FIERGS e Sebrae. O projeto contará com recursos para incentivo a competitividade das pequenas empresas nas áreas gestão de negócios e ambiental, vendas e NR12. Serão lançadas duas cartilhas: uma sobre boas práticas na área de gestão ambiental e outra na área de soluções de NR12 para máquinas operatrizes, em parceria com Ministério do Trabalho e com a Secretaria Estadual do Meio Ambiente.

O segundo projeto, em parceria com o Sebrae/RS, é orientado ao Desenvolvimento Sustentável do Setor de Máquinas do Vale do Sinos e do Paranhana, e promove capacitações na áreas de liderança e gestão.

A presença deve ser confirmada pelo fone (51) 3594 2232, com Jessica Silva. Comunicação da Abrameq e SinmaqSinos.

Fonte: http://exclusivo.com.br/noticias/fabricante/fabricantes-de-maquinas-com-dois-novos-projetos10

28Faz da qualidade e da parceria uma realidade e expande o mercado.

Mesmo diante de um mercado competitivo, a empresa completa 25 anos e consegue expandir seu atendimento.

Solados em couro, Micro e EVA, Tamanco em madeira (acabamentos) e Saltos fachetados em sola.

Focada em moda e negócios, Zero Grau inicia em Gramado/RS

Foto: Dinarci Borges|DivulgaçãoMostra segue até quarta-feira reunindo 280 expositores e mais de 900 marcas

A Zero Grau – Feira de Calçados e Acessórios iniciou-se na segunda-feira, dia 18, em Gramado/RS. Focada em moda e lançamentos para o inverno 2014, a mostra  segue até quarta-feira, dia 20, reúne mais de 900 marcas,  no Centro de Eventos e Feiras Serra Park.

Na abertura oficial da feira, o diretor da Merkator Feiras e Eventos – promotora da Zero Grau -, Frederico Pletsch, destacou que o evento cresceu 80% em relação à edição edição de estreia, em 2011. “Esse crescimento deixa a feira apenas 28% menor que o SICC (Salão Internacional do Couro e do Calçado). Isso comprova que a mostra realmente deu certo. Hoje, estamos com 280 empresas expositoras”, observou. “A Zero Grau surgiu de uma proposta conjunta dos sindicatos das indústrias de calçados dos vales do Paranhana e do Sinos e nós a articulamos. A Zero Grau é o que o setor estava querendo propor para o mercado”, complementou.

Sindicatos

Para o presidente do Sindicato das Indústrias de Calçados de Igrejinha, Renato Klein, a Zero Grau tem sido de fundamental importância para o alinhamento das coleções de inverno. “A feira funcion muito bem como um pré-lançamento da coleção de inverno. É um evento em que os fabricantes podem verificar se é preciso ajustar os seus produtos para a temporada fria do próximo ano”, sinalizou. Conforme o dirigente, a mostra exerce um significativo papel para a competitividade do setor.

O movimento proporcionado pela Zero Grau na economia da região foi destacado pelo presidente do Sindicato das Indústrias de Calçados e Acessórios para Calçados de Três Coroas, Rogério Darci Müller. Segundo ele, a feira tem impactado em diversos setores econômicos do Rio Grande do Sul. “Nessa época do ano, Gramado se torna a cidade dos expositores, gerando renda. Se não tivesse essa feira, como seria?”, questiona. Müller também enfatizou o papel que a mostra tem para o varejo calçadista.

“Se os lojistas não tivessem a feira, eles não teriam como renovar seus estoques. Todo mundo ganha”, observou. 

O prefeito de Gramado, Nestor Tissot, deu as boas-vindas, salientou que o município está preparando para receber a feira e endossou a avaliação do presidente do sindicato de Três Coras em relação à importância econômica da Zero Grau para a região. Segundo o chefe do executivo gramadense, a mostra tem auxiliado na retomada dos negócios do setor de calçados no Estado. “O setor calçadista é um dos motores da economia gaúcha e aos poucos tem retomado os seus negócios. A Zero Grau tem contribuído com esse movimento”, destacou.

A força do calçado gaúcho

A indústria calçadista representa um dos principais setores econômicos do Rio Grande do Sul. Em 2012, o Estado foi o responsável por 35% da exportação de calçados do Brasil. Essa importância foi salientada pelo presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs), Heitor Müller. Segundo ele, “o setor calçadista é um dos patrimônios do Estado pela riqueza, pelas empresas e empregos que gera e também porque é um dos setores responsáveis pela geração de divisas”. Para Müller, o setor está em constante mudança. “Apesar dos percalços pelo qual vem passando nos últimos anos, o setor calçadista gaúcho vem se renovando agregando tecnologia e design no desenvolvimento de produtos”, pontuou.

 Fonte: http://exclusivo.com.br/noticias/lojista/focada-em-moda-e-negocios-zero-grau-inicia-em-gramadors

 

 

A Empresa

Entre em contato conosco:

E-mail: This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
Rua Rangel Pestana, 23 Centro
Jaú - São Paulo - Brasil
Fone: (14) 3625-4489
Facebook
Skype: bigdesignerjau

Pés famosos ou não