Dudu

Dudu

 

Entre os dias 7 e 11 de maio, a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) promoveu, por meio do programa de apoio às exportações de calçados, o Brazilian Footwear, mais uma edição do Projeto Comprador Vip. Na ocasião, foi trazido, por meio do programa realizado em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), o comprador Tony Makhija, do Al Safeer Group, dos Emirados Árabes Unidos.
 
Com 17 lojas especializadas em calçados, a Shoes4Us, localizadas nos Emirados e em Omã, o comprador encantou-se com a diversidade dos calçados apresentados na feira SC Trade Show, realizada em São João Batista/SC, e também em visitas a fábricas do polo calçadista de Birigui/SP. 

Conforme relatório da Abicalçados, in loco, Makhija comprou mais de 35 mil pares, o equivalente a US$ 200 mil. Para os próximos 12 meses, a expectativa é adquirir outros 95 mil pares em negócios que ficaram alinhavados durante a ação, o que geraria um total de mais de US$ 700 mil em compras. 
 
Para a coordenadora de Promoção Comercial da Abicalçados, Letícia Sperb Masselli, a ação foi satisfatória, pois conseguiu identificar marcas que atendiam a demanda específica do comprador, otimizando reuniões com os calçadistas expositores da feira catarinense e os empresários de Birigui. "O grupo já trabalhava com marcas femininas e masculinas do Brasil e demonstrou interesse em conhecer melhor o segmento infantil", conta Letícia.
 
O Projeto Comprador Vip é uma ação do programa Brazilian Footwear, braço internacional da Abicalçados que terá continuidade no Salão Internacional do Couro e do Calçado (SICC), em Gramado/RS, entre os dias 22 e 24 de maio. Na oportunidade, a ação trará representantes do grupo colombiano Luz Mila Lopez, que possui três lojas na cidade de Ibague e uma em Bogotá. Ainda durante a mostra gaúcha, o Brazilian Footwear dará suporte aos compradores do Basic Group, da Armênia, que vêm à Serra Gaúcha a convite do escritório da Apex em Moscou. 

 

A Abicalçados fechou uma parceria com a empresa de logística UPS para desconto nos transportes nacionais e internacionais. Nos nacionais, o desconto varia de 60% a 77%, enquanto nos internacionais ele vai de 82% a 87%. Se a empresa é associada da Abicalçados pode solicitar o desconto pelo e-mail  This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it. . O presidente-executivo da entidade, Heitor Klein, ressalta a importância do benefício, já que quase 13% dos custos atuais das empresas são despendidos com transporte e logística. 

 

A sede da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) recebeu, na noite de ontem, dia 8, uma coletiva de imprensa da Couromoda, na qual foi apresentada sua novo logomarca do grupo, o Congresso Couromoda Digital, o European Shoe Case e a Pré Coleções Couromoda 2018. 

Com bom quórum de profissionais de imprensa, a apresentação iniciou com a exposição do sócio diretor de Operações da Z515, agência criadora da novo logomarca da Couromoda. Flávio Nara explicou que a conexão da primeira letra da marca (veja a foto abaixo) remete à sinergia e renovação. O diretor geral da feira, Jeferson Santos, destacou que o objetivo foi criar um logo mais sofisticado e que tornasse a marca um objeto de desejo. 

Na sequência, o diretor da Couromoda, Airton Manoel Dias, apresentou o Congresso Couromoda Digital, Europen Shoe Case e a Pré Coleções Couromoda 2018, eventos que ocorrerão, simultaneamente, entre os dias 10 e 12 de novembro deste ano, no Expo Center Norte, em São Paulo/SP. “O Congresso Digital não é uma ideia que nasceu agora, vem de anos e foi amadurecendo na empresa. O objetivo é acompanhar e estar de acordo com as mudanças tecnológicas”, explicou. Segundo ele, serão três dias de debates sobre inovação, tecnologia e futuro do mercado da moda na era digital. “O evento será realizado num ambiente lúdico, todo digital, onde serão realizadas apresentações sobre o tema”, acrescentou o diretor. 

Nos mesmos dias, em um dos pavilhões do Expo Center Norte, será realizada a primeira edição da Pré Coleções Couromoda, evento para expositores da feira de janeiro e que servirá como um “teste” para adaptações de coleções além de ser uma plataforma de negócios para adiantamento de pedidos e até pronta-entrega. “O mercado vinha pedindo essa antecipação. Com a Pré Coleções, os expositores participantes também serão beneficiados, pois poderão afinar as coleções que serão apresentadas na feira de janeiro”, ressaltou Dias. Para o evento, já está confirmada uma parceria com a Associação Brasileira dos Lojistas de Calçados e Artefatos (Ablac), que trará mais de 500 importantes varejistas brasileiros. “Também teremos importante presença de importadores, especialmente da América do Sul”, adiantou. 

European Shoe Case
Em parceria com as revistas italianas Arsutoria e Fotoshoe, o Europen Shoe Case promete ser uma ferramenta poderosa para os criativos brasileiros, que terão à disposição, durante os três dias de evento, produtos e vitrines utilizados no inverno europeu. “Será uma experiência mais a realidade do que, efetivamente, está dando certo na Europa, não apenas tendências apresentadas em desfiles”, explicou Dias. 

Couromoda
Com a criação dos três eventos, a Couromoda oferece ao trade de calçados e moda mais oportunidades de negócios e acesso a informações importantes para os novos rumos da indústria e varejo. A 45ª edição da maior feira de lançamentos da temporada outono-inverno da América Latina, a Couromoda 2018 acontecerá de 14 e 17 de janeiro, no Expo Center Norte, em São Paulo/SP.

 

O mês de abril, conforme dados elaborados pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), aponta para uma queda nos embarques de calçados na ordem de 1,1% em volume e incremento de 14,8%  em valores gerados no comparativo com igual mês do ano passado. O mês quatro fecha com a exportação de 8,33 milhões de pares por US$ 79,26 milhões. No comparativo com março, a queda é expressiva, de 22,8% em pares e 17,5% em dólares. No acumulado dos quatro meses do ano, as exportações chegaram a 39,67 milhões de pares e US$ 338,27 milhões, queda de 1,5% em volume e aumento de 14,4% em dólares em relação ao mesmo período de 2016.
 
O presidente-executivo da Abicalçados, Heitor Klein, destaca que o movimento de queda é resultado de vendas com um real valorizado sobre o dólar, o que encarece o preço do produto nacional. “Quando essas exportações que estão chegando às estatísticas hoje foram negociadas o dólar estava na faixa de R$ 3,15, um valor que torna a nossa competitividade muito difícil além-fronteiras”, comenta.
 
Segundo o executivo, para compensar o alto custo de produção no Brasil, o dólar ideal deveria gravitar entre R$ 3,50 a R$ 3,60. O executivo avalia, ainda, que dificilmente os exportadores terão algum incremento nos embarques ao longo do ano.
 
Destinos
O principal destino do calçado brasileiro nos quatro meses foram os Estados Unidos, para onde foram embarcados 4 milhões de pares que geraram US$ 64,26 milhões, quedas de 13% em volume e de 2,1% em receita no comparativo com igual ínterim do ano passado.

A Argentina, segundo destino do produto nacional, importou 3 milhões de pares que geraram US$ 48,68 milhões, incrementos de 49% em volume e 89% em dólares no comparativo com mesmo período de 2016.

O terceiro destino foi a Bolívia, para onde foram embarcados 3 milhões de pares por US$ 19 milhões, incrementos de 14% em volume e de 30,8% em receita no comparativo com o ano passado.
 
Origens
No quadrimestre, o maior exportador brasileiro de calçados foi o Rio Grande do Sul, que embarcou 9 milhões de pares que geraram US$ 147,68 milhões, incrementos de 5% em volume e 16% em receita no comparativo com mesmo período de 2016. O Estado respondeu por 44% do total gerado com exportações no quadrimestre.
 
O segundo exportador foi o Ceará, de onde partiram 14,78 milhões de pares por US$ 84 milhões, queda de 3,2% em volume e incremento de 6,7% em receita no comparativo com o ano passado.
 
São Paulo apareceu na terceira colocação do ranking. No quadrimestre, os paulistas exportaram 2,7 milhões de pares que geraram US$ 40,7 milhões, queda de 20,3% e incremento de 12,6%, respectivamente.

Importações em alta
Ao mesmo tempo em que as exportações caíram, as importações seguiram o ritmo de alta. Favorecida pelo real valorizado, a entrada de calçados estrangeiros no Brasil aumentou 18% em pares e 19,7% em dólares no comparativo entre abril de 2016 e de 2017. No mês passado, foram importados 1,6 milhão de pares por US$ 23 milhões. Com o resultado, no quadrimestre as importações chegaram a 9,5 milhões e US$ 123 milhões, queda de 0,3% em volume e aumento de 2,4% em dólares na relação com o mesmo período de 2016.
 
Asiáticos dominam
As principais origens seguem sendo os países asiáticos, que respondem por mais de 85% das importações de calçados. No quadrimestre, partiram do Vietnã 3,55 milhões de pares pelos quais foram pagos US$ 67 milhões, queda de 2,2% em volume e aumento de 4% em dólares no comparativo com igual período do ano passado.
 
A segunda origem do quadrimestre foi a Indonésia, que exportou para o Brasil 1,42 milhão de pares por US$ 24,5 milhões, quedas de 1% e 3,2%, respectivamente.
 
O terceiro maior exportador de calçados para o País foi a China, de onde partiram 3,52 milhões de pares pelos quais foram pagos US$ 13,28 milhões, quedas de 4% e 14%, respectivamente.
 
Em partes – cabedais, solas, saltos, palmilhas etc – entraram no Brasil o equivalente a US$ 14,73 milhões, 19,7% menos do que primeiro quadrimestre do ano passado.

 

De acordo com as projeções da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), as vendas do varejo, tanto no Estado quanto na capital paulista, devem registrar crescimento em maio, mês do Dia das Mães. O comércio varejista do Estado de São Paulo deve faturar R$ 50 bilhões no mês, alta de 4% na comparação com maio de 2016. Já no varejo paulistano, as vendas devem alcançar R$ 16 bilhões no mês, crescimento de 5% na mesma base de comparação.

A elaboração dessas projeções revelam uma combinação positiva de elementos determinantes do movimento varejista, como a queda da inflação, já convergindo para o centro de sua meta anual, o ciclo de cortes na taxa básica de juros e a elevação na renda agrícola, por conta do forte aumento de exportações de commodities (onde São Paulo tem grande presença), que acabam por fundamentar a observada melhoria nos indicadores de confiança dos consumidores e empresários, constatada pela Entidade há meses.

No entanto, a FecomercioSP alerta que o bom desempenho esperado para o varejo no mês do Dia das Mães não deve ser totalmente creditado a um aumento expressivo de vendas na data comemorativa, mas sim a uma combinação de fatores específicos que estão marcando o atual processo de normalização do ritmo da atividade varejista.

Sobre a FecomercioSP
A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) é a principal entidade sindical paulista dos setores de comércio e serviços. Congrega 156 sindicatos patronais e administra, no Estado, o Serviço Social do Comércio (Sesc) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). A Entidade representa um segmento da economia que mobiliza mais de 1,8 milhão de atividades empresariais de todos os portes. Esse universo responde por cerca de 30% do PIB paulista - e quase 10% do PIB brasileiro - gerando em torno de 10 milhões de empregos.

 

Através de uma tinta termocrômica que reage ao calor do corpo, o anúncio “Teste de Pisada” é capaz de identificar o tipo de cada pessoa

De acordo com os estudos da College of Podiatry, de Londres, cerca de 70% dos corredores não usam o tênis adequado ao seu tipo de pisada.

Com este insight em mãos, a Neogama resolveu criar um anúncio inusitado pela a ASICS.

A peça utiliza uma tecnologia simples para ajudar a identificar o calçado mais indicado para a prática da corrida.

Através de uma tinta termocrômica que reage ao calor do corpo, o anúncio “Teste de Pisada” é capaz de identificar o tipo de cada pessoa.

Basta ficar em cima da revista sobre a área demarcada para descobrir se a pisada é do tipo supinação (quando o tênis desgasta mais na parte externa), pronação (desgaste maior na parte interna) ou neutra (desgaste uniforme).

O anúncio foi veiculado na capa das revistas Runners e Women’s Health.

 

Ainda dá tempo! Designers, estilistas, estudantes de Moda e cursos técnicos e demais interessados em concorrer a uma bolsa de estudos no Istituto Europeo di Design (IED), além de troféu e prêmio em dinheiro, têm até o dia 3 de junho para se inscrever na 22ª edição do Prêmio Francal Top de Estilismo. A data refere-se ao prazo para postagem do produto, que valida a inscrição feita pelo site www.francaltopdeestilismo.com.br e

Neste ano, o prêmio terá três categorias – Calçado Feminino, Calçado Masculino e Bolsa – cujas criações devem seguir o tema “Expresse”, desenvolvido pelo IED.

O tema provoca os participantes a repensar desenhos, formas, princípios, técnicas e cores de suas criações, tendo em vista a revolução dos hábitos, modos e costumes dos consumidores. É um convite para explorar o lifestyle, transitar pelas tribos e transformar a estética de décadas passadas. O Top de Estilismo quer que seus participantes “expressem” ideias que possam atender às novas expectativas das pessoas.

Para colaborar com o entendimento do tema, o IED disponibiliza um conteúdo programático no site da premiação, que deve ser usado como referência na construção dos produtos.

Os participantes podem se inscrever nas três categorias, com no máximo um produto em cada. No momento da inscrição, é obrigatório preencher o memorial descritivo com informações sobre público-alvo do produto, componentes, materiais e cores, inspirações e como elas se relacionam com o tema “Expresse”.

Julgamento e premiação

A seleção dos vencedores acontece no dia 13 de junho. A comissão julgadora do Prêmio Francal Top de Estilismo é composta por profissionais especializados em Moda e Design, que levarão em conta na avaliação critérios como: adequação ao tema, cunho comercial, inovação, criatividade, sistema de construção e material utilizado.

Cada uma das três categorias terá três produtos premiados, num total de nove vencedores. A revelação do primeiro, segundo e terceiro lugares por categoria será feita na cerimônia de premiação, marcada para 2 de julho, primeiro dia da Francal – Feira Internacional da Moda em Calçados e Acessórios, no Expo Center Norte, em São Paulo.

Todos os premiados recebem troféu relativo à colocação e prêmio em dinheiro (R$ 2.000 para o primeiro colocado, R$ 1.500 para o segundo e R$ 1.000 para o terceiro).

Os vencedores que estiverem presentes à cerimônia concorrem, por sorteio, a uma bolsa de estudos noCurso de Extensão One Year – Creative Course, Shoes & Bags – Design and Business oferecida pelo IED.

O Prêmio

O Prêmio Francal Top de Estilismo foi criado em 1995 pela Francal Feiras, com o objetivo de promover e valorizar o estilista brasileiro, incentivar a criatividade nacional e revelar novos talentos para a indústria de calçados e acessórios de moda.

Por sua relevância para o desenvolvimento do setor, o prêmio conta com apoio das principais entidades representativas: Abicalçados - Associação Brasileira das Indústrias de Calçados; Abiacav – Associação Brasileira das Indústrias de Artefatos de Couro e Acessórios de Viagem; Assintecal – Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro Calçados e Artefatos e do IED – Istituto Europeo di Design – São Paulo.

 

Novo método de impressão 3D pode acelerar pequenas produções como edições limitadas

Herzogenaurach / Nova York – A Adidas lançou nesta sexta-feira um tênis com a sola feita em impressora 3D, em uma preparação para que o produto entre em escala de produção em massa no ano que vem. O anúncio é parte de estratégia da companhia alemã de reagir mais rapidamente às mudanças na moda e criar mais produtos personalizados.

A Adidas já permite que os clientes escolham a cor e estampa de calçados encomendados online, mas o novo método de impressão 3D pode acelerar pequenas produções como edições limitadas, e mesmo projetar solas projetadas especificamente para suportar o peso de uma pessoa.

Rivais como Nike, Under Armour e New Balance também estão experimentando a impressão 3D, mas até agora têm usado a tecnologia apenas na produção de protótipos, calçados personalizados para atletas patrocinados e produtos de alto valor.

Isso porque as impressoras 3D convencionais são mais lentas, mais caras e frequentemente criam produtos de qualidade inferior que os equipamentos de injeção de plástico, usados atualmente para produção de centenas de milhões de calçados por ano, principalmente na Ásia.

Segundo a Adidas, a nova parceria com a Carbon, empresa iniciante de tecnologia do Vale do Silício, permitirá superar muitas dificuldades na produção da sola, tornando o método um possível concorrente do sistema tradicional de injeção de plástico.

“Isto é um marco não apenas para nós como companhia, mas para toda a indústria”, disse Gerd Manz, diretor de inovação da Adidas, no lançamento do “Futurecraft 4D”.

A Carbon, financiada por empresas de investimento de risco como Sequoia Capital e também por General Eletric e Alphabet, foi pioneira na tecnologia que imprime com uma resina de polímero sensível à luz e que depois é aquecida para ganhar resistência.

Impressoras 3D fazem produtos por meio da sobreposição da camadas de pó de plástico, um método usado pela Hewlett Packard, que está trabalhando com a Nike e afirma que seus novos equipamentos funcionam 10 vezes mais rápido e pela metade do preço do custo de modelos anteriores.

A Adidas espera vender 5 mil pares do Futurecraft 4D este ano e 100 mil no próximo ano, com a redução no tempo de impressão de solas de uma hora e meia para menos de 20 minutos por sola. Os calçados serão vendidos por um preço premium ainda não especificado, mas a Adidas planeja reduzir os custos com o desenvolvimento da tecnologia.

No ano passado, a Adidas vendeu algumas centenas de pares de tênis de corrida com solados produzidos em impressoras 3D comuns por 333 dólares cada.

A consultoria Wohlers Associates, especializada em impressão 3D, estima que a indústria vai mais que quadruplicar as vendas para 26 bilhões de dólares em 2022, guiada principalmente por encomendas do setor automotivo, de saúde, dentário e de jóias.

Solange Solón Borges, Agência Indusnet Fiesp 

O Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp) realizou uma nova pesquisa Rumos da Indústria Paulista.  O foco agora foi a percepção empresarial a respeito da reforma trabalhista proposta pelo governo federal. Foram entrevistados representantes de 495 indústrias, sendo 312 micro e pequenas.

Entre os resultados, 77% avaliam que as mudanças propostas trarão maior segurança jurídica. Para 40,8% haverá melhora do ambiente de negócios. Entre os que acreditam que pode haver incentivo para a geração de empregos, é estimado um aumento de até 5% do quadro de pessoal para 24,2% dos entrevistados. Outros  33,4% apontam de 5 a 10% de aumento no quadro de pessoal, sendo que essa percepção é maior no universo das grandes empresas: 42,9% do total.

Esta pesquisa tem como objetivo avaliar as expectativas pontuais das empresas quanto aos seus negócios e a economia.

O levantamento é realizado com cerca de 500 indústrias paulistas sobre temas que possam ser foco de interesse no momento da coleta.

Para levantamento das informações é elaborado um questionário com perguntas qualitativas de auto-preenchimento. O link para coleta das informações via internet é enviado por e-mail a todos os participantes.

Os resultados são tabulados e divulgados de forma agregada.

Lembramos que, a FIESP – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo tem larga experiência em elaboração de indicadores industriais, e como de praxe se compromete com o sigilo dos resultados individuais coletados.

Para visualizar ou baixar a publicação em seu computador, acesse o menu ao lado.

 

Marca lançada há 10 anos no mercado revela a força e a graça da mulher.

A ZATZ buscou no melhor da moda mundial inspiração para materializar os desejos femininos. Prova disso é a sua nova coleção primavera-verão, que vem para inspirar e satisfazer as mulheres modernas e ousadas.

Com mais de 30 anos de experiência, a Indústria de Calçados Ala, localizada em Santa Catarina, atua no mercado brasileiro e internacional com as marcas ALA e ZATZ, exportando para mais de 30 países. A arte de fazer sapatos é fruto da tradição que veio de pai para filho. A empresa é hoje uma das maiores indústrias do setor.

As coleções são contemporâneas, inspiradas na linguagem comportamental da moda e do consumidor, materializando produtos que formam conceitos e revelam a força, as atitudes e os desejos femininos.

A Empresa

Entre em contato conosco:

E-mail: This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
Rua Rangel Pestana, 23 Centro
Jaú - São Paulo - Brasil
Fone: (14) 3625-4489
Facebook
Skype: bigdesignerjau

Pés famosos ou não