Noticias

Noticias (674)

 

O programa de apoio às exportações de calçados Brazilian Footwear, mantido em conjunto pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) e Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), estará presente na Zero Grau. A feira, que acontece em Gramado/RS, entre os dias 20 e 22 de novembro, receberá o Projeto Comprador Vip, que nesta oportunidade trará uma compradora colombiana, e o Projeto Imagem, que terá três jornalistas, uma russa e dois argentinos.
 
Da Colômbia, desembarca para a feira gaúcha a compradora Maria Virginia Alvarez, que busca calçados masculinos e femininos para abastecer a Flamingo, uma das maiores redes daquele país. Com 18 pontos de venda e trabalhando especialmente com países asiáticos, a empresa busca ampliar a relação comercial com os calçadistas brasileiros.  Segundo Letícia Sperb Masselli, coordenadora de Promoção Comercial da Abicalçados, trata-se de uma compradora com grande potencial. “O mercado colombiano vem crescendo ano após ano. Com uma economia consolidada, traduzida num PIB que cresceu mais de 5% nos anos de 2015 e 2016 e tem perspectiva de crescer outros 2% neste ano, o país vem aumentando a demanda por calçados”, avalia Letícia, ressaltando que a classe média colombiana cresceu 30% nos últimos dez anos. 
 
Mercado crescente
Dos calçados importados pela Colômbia, o Brasil responde pela terceira posição entre as principais origens, sendo responsável por cerca de 15% do total de calçados que entram no país sul-americano. No ano passado, foram embarcados para lá quase 10 milhões de pares verde-amarelos que geraram mais de US$ 43 milhões, crescimentos de 24% em volume e de 5,3% em receita no comparativo com 2015. 

Imagem
Além do Projeto Comprador Vip, o Brazilian Footwear estará presente com o Projeto Imagem, que nesta oportunidade traz a jornalista russa Timashova Natalia, da Shoes Report, revista moscovita que circula em toda a Rússia e também nos países vizinhos, como Belarus, Ucrânia e Cazaquistão; e os jornalistas argentinos da CueroAmerica, Mauricio Herzovich, e da Serma, Aldo Delfino. Segundo a responsável pela Promoção de Imagem da Abicalçados, Alice Rodrigues, o projeto tem o objetivo de dar maior visibilidade ao calçado brasileiro por meio de publicações especializadas.  

Otimismo
O diretor da feira, Frederico Pletsch ressalta que a perspectiva favorável aponta que a feira terá mais expositores e visitantes neste ano. “A estimativa é fechar o evento com um aumento de cerca de 10% nos espaços comercializados. Estamos otimistas em termos uma feira ainda maior do que a que fizemos no ano passado, que já foi um marco para lançamentos de outono-inverno”, projeta.

A Zero Grau, que lançará as coleções de mais de 1,2 mil marcas de calçados e acessórios no Serra Park, é uma promoção da Merkator Feiras e Eventos apoiada pelos sindicatos das indústrias de Estância Velha, Ivoti, Igrejinha, Novo Hamburgo, Parobé, Sapiranga e Três Coroas.
 
 
 
Sobre o Brazilian Footwear:
Brazilian Footwear é um programa de incentivo às exportações desenvolvido pela Abicalçados em parceria com a Apex-Brasil. Este programa tem por objetivo aumentar as exportações de marcas brasileiras de calçados através de ações de desenvolvimento, promoção comercial e de imagem voltadas ao mercado internacional. Conheça: www.brazilianfootwear.com.br | www.abicalcados.com.br/brazilianfootwear
 
Sobre a Apex-Brasil:
A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos  (Apex-Brasil) atua para promover os produtos e serviços brasileiros no exterior e atrair investimentos estrangeiros para setores estratégicos da economia brasileira. Para alcançar esses objetivos, a Apex-Brasil realiza ações diversificadas de promoção comercial que visam promover as exportações e valorizar os produtos e serviços brasileiros no exterior, como missões prospectivas e comerciais, rodadas de negócios, apoio à participação de empresas brasileiras em grandes feiras internacionais, visitas de compradores estrangeiros e formadores de opinião para conhecer a estrutura produtiva brasileira entre outras plataformas de negócios que também têm por objetivo fortalecer a marca Brasil. Conheça: www.apexbrasil.com.br

 

A prévia das coleções para a próxima temporada outono-inverno de calçados e acessórios apresentada durante o Preview Couromoda 2018 agradou os lojistas e motivou o fechamento de pedidos aos fabricantes, especialmente do segmento feminino.

Everton Souza, diretor da Gardênia Calçados, butique instalada em São Paulo, aprovou o novo evento e os produtos que teve a oportunidade de conhecer nos estandes. “Achei excelente a iniciativa do Preview, pois não preciso esperar janeiro chegar para fazer as compras de inverno e ainda, num só local, posso ter acesso a produtos para venda imediata”, explica.

Atuando há três anos no setor de varejo, ele concentrou as compras em duas frentes. Em uma, adquiriu rasteiras e chinelos para vendas durante o alto-verão, os quais deve receber já na próxima semana. Em outra, comprou um volume expressivo de botas e botinhas, que estarão nas vitrines de sua loja no inverno do próximo ano.

Com duas lojas, em Perdizes e Pompéia, e um e-commerce em São Paulo, a lojista Marcela Suzmeyan afirma que, entre outros produtos, adquiriu botas, scarpins e muitas bolsas da grife Capodarte, com que já trabalha há alguns anos, no segundo dia do Preview. “As compras que faria no showroom da empresa eu fiz durante o Preview, que reúne um grande número de fornecedores num só local e permite conhecer as tendências de moda para a estação de inverno com maior profundidade”, afirma Marcela.

Passarela Calçados
Uma das maiores redes de lojas do interior paulista, a Passarela Calçados, de Jundiaí, esteve no Preview com três de seus compradores, que visitaram fornecedores tradicionais e também outras empresas. “Viemos conhecer as novidades dos fabricantes e agendar as visitas de seus representantes à nossa sede nas próximas semanas”, afirma Daniel Preti, na companhia de Flávio Cunha e Adimilson Alves.

Ênfase à pesquisa
Outra rede que se fez presente ao Preview Couromoda é a gaúcha Radan, com 12 unidades na Região Metropolitana de Porto Alegre/RS. Conforme o diretor Raul Viega da Rocha, há anos a empresa dedica-se a apenas fazer pesquisas durante as feiras. “Aproveitamos ao máximo o tempo para visitar os fornecedores, consolidar relacionamentos e definir novas parcerias. As compras são feitas posteriormente, com base no que vimos nos estandes”, destaca.O Preview Couromoda, conforme o lojista, permitiu ver já em novembro parte das coleções a que somente teria acesso em janeiro. “Sem dúvida, é uma iniciativa que nos agradou, inclusive pelo fato de podermos participar de diversas palestras interessantes”, finaliza.

Expositores de tecnologia
Além da presença de fabricantes de calçados e acessórios, o lojista Antoniel Marrachine Lordelo, diretor da Azul Calçados, de Itu/SP, destaca a participação no Preview Couromoda de expositores de tecnologia, área a qual o varejo vem dando grande importância nos últimos tempos. “Aproveitamos para conhecer os produtos para o outono-inverno 2018 e também alguns softwares que permitem tornar mais assertiva a gestão de nossa rede de lojas. Hoje, mais do que em outros períodos, ter informações confiáveis em tempo real faz a diferença para o sucesso dos negócios”, afirma Antoniel.

 

 

 

Que o mundo passa por uma mudança de era e não uma era de mudanças já é sabido. Foi com esse pensamento que o grupo Couromoda, há 45 anos na vanguarda do setor calçadista nacional, inovou mais uma vez ao realizar o Preview Couromoda 2018. O evento, realizado entre os dias 9 e 11 de novembro, no Expo Center Norte, em São Paulo/SP, trouxe muito mais do que as coleções de inverno dos seus 151 expositores, trouxe provocações fundamentais para a sobrevivência da indústria e do varejo de calçados. 

O presidente-executivo da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Heitor Klein, destaca que o momento é de mudança radical para o setor e que a empresa que não souber se adaptar dificilmente sobreviverá às necessidades de um novo tipo de consumidor. “A Couromoda, mais uma vez, foi além de uma feira comercial de calçados, realizando uma provocação fundamental para o setor calçadista, desde a base até a ponta do varejo”, comenta, em referência ao evento de preview e também ao Couromoda Digital, um fórum que reuniu especialistas nas áreas de tecnologia e moda para falar sobre as mudanças nas modalidades de vendas, especialmente acerca de marketing virtual e e-commerce. 

Para o presidente e fundador do grupo Couromoda, Francisco Santos, o modelo de preview, baseado especialmente no acesso a serviços para industriais e lojistas, é uma realidade que não tem volta. “Temos pelo menos 20 expositores que já disseram que irão vir para o próximo evento com mais força do que para a Couromoda de janeiro”, conta. Segundo ele, o fato da estrutura ser mais enxuta, mais focada em produto e com custo, pelo menos, 50% menor, também foi elogiada tanto por fabricantes quanto por lojistas. 

Futuro
O diretor geral da Couromoda, Jeferson Santos, projeta que o Preview deva ter de 30% a 35% o tamanho da Couromoda de janeiro nos próximos dois anos, o que também vai depender do engajamento da indústria, que precisará, efetivamente, realizar lançamentos no evento de novembro. “Tivemos grandes redes, especialmente de São Paulo, presentes. Eles, que não tinham essa feira no calendário, ficaram surpresos com as palestras e também com as coleções lançadas, o que nos deixa otimistas para o próximo evento de preview”, acrescenta o diretor. 
Segundo Jeferson, para o próximo ano, além de trabalhar o evento com lojistas brasileiros, a ideia é trazer importadores da América Latina com foco nesse tipo de evento.  

Negócios e relacionamento
O diretor da Cristófoli, Danilo Cristófoli, retirou o fone de ouvido pelo qual escutava atentamente mais uma das palestras do Couromoda Digital para ressaltar a importância da sinergia entre negócios e informação. Segundo ele, para uma primeira experiência, em termos de relacionamento e abertura de mercado, a feira foi importante. “O modelo de feira está perfeito, com estandes padronizados que colocam o calçado como a principal estrela, como deveria ser em toda a mostra do setor”, afirma, ressaltando que o evento serviu mais para estreitar relacionamento com o mercado e se informar sobre as mudanças do segmento do que necessariamente para efetivação de negócios. “A data está perfeita para se vender inverno, mas o lojista não estava esperando pelo evento, não tinha essa mostra no calendário. Mesmo assim, recebemos clientes habituais e também novos, especialmente daqui de São Paulo”, avalia. Para Cristófoli, São Paulo possui facilidades logísticas para a realização de um preview, o que aponta para o potencial da feira já nos próximos anos. 

Para o gerente comercial da Anzetutto, Frederico Paese, o Preview cumpriu o seu papel, trazendo compradores especialmente do Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste do País. “A mostra ficou dentro das nossas expectativas, sendo que aqui lançamos a primeira parte - de três - da nossa coleção de inverno, que será finalizada para a Couromoda de 2018”, conta. Segundo Paese, no evento foram recebidos clientes habituais com os quais a marca gaúcha pode estreitar o relacionamento. “Também foram fechados negócios, o que para uma primeira feira é algo excelente”, conclui. 

Provocações
O presidente da Bibi, Marlin Kohlrausch, foi outro expositor a destacar o formato do evento que, segundo ele, além da exposição das marcas trouxe um ambiente desafiador e necessário para o setor calçadista com o Couromoda Digital. Para o empresário, mais do que um preview de produtos, o evento serviu para provocar os calçadistas, tanto da indústria quanto do varejo, para as mudanças no comportamento do consumidor. “Hoje, as pessoas querem mais ser do que ter, elas querem mais o acesso do que o produto em si. Precisamos estar preparados para uma geração muito diferente da nossa”, ressalta. 

Com 150 lojas, entre próprias e franquias, a Bibi já experimenta o caminho da digitalização em pelo menos 30 delas. “Unimos os canais, ou seja, se o calçado que o cliente quer não está disponível na loja física, ativamos o nosso e-commerce e entregamos no estabelecimento ou na casa dele”, conta. Para o empresário, a feira de preview, por ter a data e localização acertada, deve evoluir como plataforma de negócios já nos próximos anos. “É uma proposta diferenciada e que certamente vai crescer”, projeta. 

Abicalçados
A Abicalçados participou do evento com um estande institucional, onde apresentou o estudo 15 Direções, que aponta as principais macrotendências para o setor calçadista. Para o gestor de Projetos da entidade, a participação foi válida, pois o estudo, realizado em parceria com o Instituto Euvaldo Lodi, braço de pesquisa da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), pode ser apresentado para parte do setor calçadista. “Sabemos que as mudanças não ocorrerão da noite para o dia, elas serão graduais, mas também temos ciência de que o quanto antes começarmos esse trabalho, maiores serão as chances de seguirmos desenvolvendo um setor tão importante para a economia brasileira”, avalia. 

O material apresentado pela Abicalçados, também disponível no site www.15direcoes.com.br, traz tendências como Máquinas inteligentes, Comunidades criativas, Humanos potencializados, Genderless, O varejo em transformação, Virtualmente presente, Todos os produtos se tornarão serviços, Sustentabilidade como estratégia, Economia circular, entre outros.

Evento
O Preview Couromoda reuniu algumas das principais marcas calçadistas brasileiras que estarão lançando suas coleções de outono-inverno na Couromoda de 2018, evento que será realizado entre 15 e 18 de janeiro do próximo ano. Além do Preview Couromoda 2018, ocorreu, em paralelo e com grande sucesso de público, o Congresso Couromoda Digital.

10 Nov 2017

 

A mulher de atitude é a inspiração do inverno 2018 que a Via Uno apresenta no Preview Couromoda, que acontece essa semana no Expo Center Norte. Para acompanhar os passos das fashionistas, a marca aposta em calçados cheios de personalidade com adornos, fivelas, tachas e pérolas aplicadas. 

Hit da estação, as mini botas em branco, vermelho e preto chamam a atenção, assim como os modelos mais ajustados à perna - sem deixar de fora as botas slouch de cano alto e os modelos de cano baixo.

A cartela de cores contrasta entre os clássicos nude e marinho com a vivacidade do pink, dourado, papaya, melão e chiclete. A tendência utilitária aparece nos modelos em verde militar e solados tratorados. O outro ponto alto da Via Uno são os tecidos e acabamentos: verniz, jacquard com metalizados, bordados florais, lurex, xadrez, onça e croco.

Além das botas, os scarpins complementam a coleção trazendo bicos finos, arredondados e quadrados, além de saltos diversos como o clássico fino e flare.

Com aproximadamente 40 modelos de bolsas e 200 tipos de calçados com 70 construções diferentes, a coleção é também composta por sandálias, tênis, loafers e sapatilhas.

 

Dados elaborados pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) apontam que, de janeiro a outubro, os calçadistas alcançaram a marca de 99,9 milhões de pares exportados para mais de 150 países, número 3,5% superior ao registro de igual período de 2016. Em valores, as cifras dos dez meses chegaram a US$ 890 milhões, 13,3% mais do que no ano passado. Somente em outubro foram embarcados 11,6 milhões de pares, o melhor resultado de 2017 e também 20,6% superior ao registro do mesmo mês de 2016. O valor gerado no mês dez foi de US$ 93,56 milhões, 12,3% maior do que no seu correspondente do ano passado.

Segundo o presidente-executivo da Abicalçados, Heitor Klein, os números refletem as encomendas decorrentes das participações brasileiras nas feiras internacionais do segundo semestre do ano. “Tivemos resultados muito bons nessas ações e o fato, consequentemente, refletiu no aumento dos embarques”, comenta, ressaltando que ao longo do ano as ações internacionais, apoiadas pelo Brazilian Footwear, programa de apoio ás exportações de calçados mantido em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), devem gerar US$ 200 milhões. No mês de outubro valor médio do produto nacional ficou em US$ 8, o menor desde janeiro, quando foi de US$ 7,16.

Destinos
Os principais destinos dos produtos brasileiros nos dez meses, em ordem, foram: Estados Unidos, para onde foram enviados 8,6 milhões de pares por US$ 153,84 milhões, resultados inferiores tanto em dólares (-11,2%) quanto em volume (-9,6%) em relação a igual período de 2016; Argentina, que comprou 10,12 milhões de pares por US$ 128,82 milhões, altas de 18,6% e 30,9%, respectivamente; e Paraguai, que importou 11,87 milhões de pares verde-amarelos por US$ 65,77 milhões, queda de 5,2% em volume e alta de 68,6% em receita no comparativo anual.

RS exportou 42% do total
O principal exportador do Brasil entre janeiro e outubro foi o Rio Grande do Sul. No período, os gaúchos embarcaram 23,5 milhões de pares que geraram US$ 376,53 milhões, altas de 1,5% em volume e de 7,7% em receita no comparativo com igual interim de 2016. A receita gerada com os embarques do Estado responderam por 42,3% do total gerado no ano.

O segundo maior exportador do período foi o Ceará, de onde partiram 37 milhões de pares que geraram US$ 220,33 milhões, altas de 3,9% em pares e de 8,8% em dólares no comparativo com os resultados de 2016.

No terceiro posto do ranking de exportadores apareceu São Paulo, de onde foram embarcados 6,43 milhões de pares por US$ 97,3 milhões, queda de 15,4% em volume e alta de 9,8% em receita em relação a 2016.

Importações
Entre janeiro e outubro foram importados 20,83 milhões de pares por US$ 298,6 milhões, altas tanto em volume (5,1%) quanto em receita (0,4%) no comparativo com igual ínterim do ano passado. No mês dez entraram no País 2 milhões de pares pelos quais foram pagos US$ 31,58 milhões, altas de 33,5% e de 31,8%, respectivamente, em relação ao mesmo período de 2016.

As principais origens das importações de calçados, no acumulado do ano, foram: Vietnã, de onde foram enviados 9,45 milhões de pares por US$ 166,16 milhões, altas de 5,9% e de 1,6%, respectivamente, no comparativo com igual período de 2016; Indonésia, de onde partiram 3,5 milhões de pares por US$ 58 milhões, quedas de 0,8% e 10,9%, respectivamente; e China, de onde foram importados 5,1 milhões de pares por US$ 27,32 milhões, quedas de 5,2% e de 14%, respectivamente.

Em partes de calçados – cabedais, solas, saltos, palmilhas etc – as importações alcançaram US$ 34,82 milhões, 2,5% menos do que no mesmo período do ano passado. As principais origens foram China, Vietnã e Paraguai.

 

A Invoice Calçados apresenta um mix de produtos perfeitos para complementar o look das noivas contemporâneas. Fazem parte da seleção sapatilhas, sandálias, scarpins, peep toes com e sem meia pata, tudo no clássico branco, cor favorita para subir ao altar, com saltos de variadas espessuras e tamanhos. 

As peças exibem versões delicadas e exuberantes, com detalhes que transitam de requintados recortes a laser e deixam à mostra materiais coloridos - como o azul e o rosa - a efeitos vazados florais e aplicações de flores em relevo. 

Para as noivas que querem brilhar, há opções totalmente revestidas em pedrarias e strass. As peças da linha noivas podem ser adquiridas em pontos de vendas selecionados de todo o País.

Fonte: Invoice Calçados e Primeira Página

 

As exportações de calçados foram infladas em US$ 195 milhões por conta de ações internacionais do programa Brazilian Footwear, programa de apoio às exportações do setor mantido em parceria pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), ao longo de 2017. O resultado, que consta nos relatórios, é fruto de dez eventos, nove feiras e uma missão internacional (veja abaixo). De forma imediata, ou seja, de negócios realizados in loco, a soma é de US$ 41 milhões. 

A gestora de Projetos da Abicalçados, Roberta Ramos, explica que a expectativa de negócios, de quase US$ 200 milhões, soma as vendas alinhavadas durante as ações. “Esse número é cerca de 20% do total de exportações brasileiras de calçados, que devem somar cerca de US$ 1 bilhão em 2017”, comenta a gestora, que vê uma recuperação gradual nos embarques do setor, apesar da desvalorização recente da moeda norte-americana sobre o real, o que torna o produto nacional mais caro no exterior. 

Brazilian Footwear
Segundo Roberta, o número do levantamento deve ser comemorado como mais um sucesso da parceria entre a Abicalçados e a Apex-Brasil desde o ano 2000. “Apesar das crises internacionais e domésticas que passamos, somadas aos problemas estruturais brasileiros que prejudicam a competitividade, nesses 17 anos de convênio conseguimos mudar a modalidade de exportação, substituindo o que era grande parte de private label - quando no produto é colocada a marca do importador - por marcas próprias, levando a marca Made in Brazil para o mundo”, acrescenta Roberta. 

Outro ganho relevante em quase duas décadas de parceria foi o aumento no número de destinos, diminuindo a dependência de mercados específicos e pulverizando ainda mais as exportações do calçado verde-amarelo. “Antes do convênio, exportávamos para 99 destinos, número que hoje ultrapassa 150”, conclui a gestora. 

Renovado a cada dois anos, atualmente o Brazilian Footwear para o biênio 2017/2018 tem um aporte total de R$ 36,46 milhões para ações de promoção internacional do calçado brasileiro, que incluem participação em feiras, missões comerciais, estudos de prospeção, projetos de imagem, projetos compradores - que trazem importadores para o Brasil, entre outros.  

São considerados mercados-alvo do programa a França, o Reino Unido, os Estados Unidos, a Colômbia, a China/Hong Kong e os Emirados Árabes Unidos. Atualmente, as 214 empresas associadas ao Brazilian Footwear respondem por mais de 80% do total gerado com as exportações de calçados. 


Confira as ações realizadas em 2017

Feira Expo Riva Schuh - Itália 
Fevereiro 
Negócios imediatos: US$ 3,94 milhões 
Alinhavados: US$ 21,41 milhões

Feira IFLS - Colômbia 
Fevereiro
Negócios imediatos: US$ 2,88 milhões 
Alinhavados: US$ 18,47 milhões

Feira theMicam - Itália 
Fevereiro 
Negócios imediatos: US$ 8,75 milhões 
Alinhavados: US$ 22 milhões

Feira FN Platform - Estados Unidos
Fevereiro 
Negócios imediatos: US$ 1,6 milhão 
Alinhavados: US$ 5,3 milhões

Missão Rússia 
Junho
Alinhavados: US$ 4,12 milhões

Feira Expo Riva Schuh - Itália 
Junho
Negócios imediatos: US$ 7,5 milhões 
Alinhavados: US$ 24,47 milhões

Feira ColombiaModa - Colômbia 
Julho 
Negócios imediatos: US$ 802 mil 
Alinhavados: US$ 873 mil

Feira IFLS - Colômbia 
Agosto
Negócios imediatos: US$ 1,55 milhão 
Alinhavados: US$ 6,2 milhões 

Feira FN Platform - Estados Unidos
Agosto
Negócios imediatos: US$ 2 milhões 
Alinhavados: US$ 6,3 milhões

Feira theMicam - Itália 
Setembro
Negócios imediatos: US$ 12 milhões 
Alinhavados: US$ 45 milhões


Total de negócios imediatos: 
US$ 41 milhões

Total de negócios alinhavados: 
US$ 154 milhões

Total gerado em 2017: 
US$ 195 milhões 



Sobre o Brazilian Footwear:
Brazilian Footwear é um programa de incentivo às exportações desenvolvido pela Abicalçados em parceria com a Apex-Brasil. Este programa tem por objetivo aumentar as exportações de marcas brasileiras de calçados através de ações de desenvolvimento, promoção comercial e de imagem voltadas ao mercado internacional. Conheça: www.brazilianfootwear.com.br |www.abicalcados.com.br/brazilianfootwear

Sobre a Apex-Brasil:
A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos  (Apex-Brasil) atua para promover os produtos e serviços brasileiros no exterior e atrair investimentos estrangeiros para setores estratégicos da economia brasileira. Para alcançar esses objetivos, a Apex-Brasil realiza ações diversificadas de promoção comercial que visam promover as exportações e valorizar os produtos e serviços brasileiros no exterior, como missões prospectivas e comerciais, rodadas de negócios, apoio à participação de empresas brasileiras em grandes feiras internacionais, visitas de compradores estrangeiros e formadores de opinião para conhecer a estrutura produtiva brasileira entre outras plataformas de negócios que também têm por objetivo fortalecer a marca Brasil. Conheça: www.apexbrasil.com.br

06 Nov 2017

 

A Invoice Calçados traz as novidades da Coleção Summer 2018, um mix de sapatos alegres como a primavera. Sapatilhas, mules, sandálias, scarpins e peep toes complementam o estilo das mulheres que prezam pela delicadeza na hora de montar a produção.

Modelos elegantes e sofisticados exibem referências lúdicas da flora, como aplicações de flores e borboletas em relevo, sem deixar de lado o clássico print floral. A estampa surge aplicada sobre tecido com fundo branco, garantindo um toque extra de leveza aos modelos. As novidades chegam em materiais metalizados e verniz, em nuances que vão dos vibrantes à cartela de tons pastel. 

Fonte: Primeira Página

 

Acontece no dia 7/11 a cerimônia de lançamento do novo núcleo do Programa de Qualificação para Exportação (Peiex) em Jaú/SP. Fruto da parceria entre a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Fundação para o Desenvolvimento da Unesp (Fundunesp), o Núcleo atenderá, ao longo dos próximos dois anos, cerca de 190 empresas, capacitando-as para que comecem a comercializar seus produtos no mercado internacional. 


Os principais municípios que vão ser atendidos por este núcleo do Peiex são: Avaré, Bauru, Botucatu, Jaú, Lins, Agudos, Lençóis Paulista, Pederneiras, Promissão, São Manuel, Bariri, Dois Córregos, Igaraçu do Tietê, Itaí, Cafelândia, Itatinga, Marília e Pirajuí. O núcleo já possui 67 empresas inscritas para serem atendidas, sendo que 54 já estão em processo de atendimento.

O Peiex prepara as empresas para o comércio internacional, por meio de diagnóstico e acompanhamento na implantação de melhorias e oficinas de capacitação em exportação. A adequação de processos com foco no aumento da competitividade das empresas é desenvolvida em temas como estratégia organizacional, preço de exportação, finanças e custos, plano de negócios internacional, entre outros pontos. Entre 2009 e 2016 mais de 16 mil empresas foram atendidas pelo Peiex em todo o País.

O Programa oferece aos participantes, de forma gratuita, atendimento de especialistas que fazem um diagnóstico da capacidade exportadora e apontam soluções para problemas técnico-gerenciais. Após a elaboração do diagnóstico a empresa é orientada a implantar mudanças sugeridas pelos especialistas, que podem variar desde soluções gerenciais internas a ações externas relativas ao acesso a novos mercados e adequação de produto. Durante todo o processo, a empresa é acompanhada por um técnico, que ajudará a empresa a cumprir todo o processo até estar apta a desenvolver um plano de exportação.

Para participar do Peiex, o primeiro passo é solicitar uma visita da equipe técnica do Núcleo Operacional mais próximo, veja aqui a lista dos Núcleos com os respectivos contatos. A partir da visita, os técnicos verificam se a empresa está pronta para participar do programa e, se for o caso, será disponibilizada uma ficha de inscrição.

Sobre o Peiex
O Peiex tem como objetivo preparar as empresas brasileiras para o início do processo de exportação de seus produtos e serviços de forma planejada e segura. As empresas qualificadas pelo Programa tornam-se aptas a participar de ações internacionais de promoção comercial organizadas pela Apex-Brasil e seus parceiros.

 

 

 

Fonte: Assessoria de Imprensa Apex-Brasil

03 Nov 2017

 

A Verofatto, marca de calçados, bolsas e cintos, fez uma releitura moderna do famoso mule e promete agradar consumidores dos mais variados estilos. 

Os modelos ganham versões flats com diversas possibilidades para um comfy look perfeito. Entretanto, em meio às tendências esportivas, o brilho do prata e do bronze carregam um ar de sofisticação e proporcionam uma bela dose de glamour. Para quem não abre mão de estar nas alturas, a coleção da Verofatto dispõe de mules com salto.

Fonte: Verofatto/Primeira Página
Page 4 of 49

A Empresa

Entre em contato conosco:

E-mail: This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
Rua Rangel Pestana, 23 Centro
Jaú - São Paulo - Brasil
Fone: (14) 3625-4489
Facebook
Skype: bigdesignerjau

Pés famosos ou não