Rede de fast fashion faz sua primeira parceria com uma grife internacional

A Riachuelo firmou parceria com a Versace e anuncia a primeira coleção com uma grife internacional. A linha é composta por camisas, bolsas, saias, vestidos, calças e até itens de decoração que levam a assinatura da estilista Donatella Versace. Destaque para a estamparia da coleção, que traz elementos do fundo do mar, além de animal print, inspirados na época em que Gianni Versace, o fundador da marca, quando atuava como diretor criativo. Versace para a Riachuelo chega às lojas em novembro com peças que variam de R$ 49,90 e R$ 399,90.

A top Adriana Lima será a estrela da campanha, que terá assinatura dos fotógrafos Mert Alas e Marcus Piggott, conhecidos campanhas de grifes como Louis Vuitton, Fendi e Roberto Cavalli.

Fotos: Divulgação 

Fonte: usefashion.com

 

 

 

Published in Noticias

 

 

 

Abicalçados participou do evento com compradores da França, Emirados Árabes e África do Sul

O Projeto Copa do Mundo, realizado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), terminou com sucesso para as 708 empresas e entidades setoriais participantes. “O grande ganho desse projeto foi o fortalecimento da relação de confiança entre as empresas brasileiras e seus parceiros em cada mercado de atuação, que se reflete nos negócios”, avalia o presidente da Apex-Brasil, Mauricio Borges. “Nos próximos 12 meses serão concretizados os US$ 6 bilhões em exportações e investimentos atraídos ao país, conforme o previsto”, completa.

Ao todo, vieram ao Brasil 2,4 mil empresários, investidores e formadores de opinião de 104 países, convidados pelo Projeto Copa do Mundo. Eles participaram de 837 agendas de negócios com empresas de 18 estados brasileiros, nos meses de junho e julho. Também assistiram aos jogos do Mundial e estiveram nos hospitalities da Apex-Brasil em 12 jogos em Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Rio de Janeiro e São Paulo.

Uma pesquisa realizada com os convidados internacionais comprovou um dos resultados do projeto: a melhoria da imagem de empresas e produtos brasileiros. Os convidados estrangeiros que responderam à pesquisa, declararam um aumento na percepção positiva sobre produtos e empresas brasileiras.

As perguntas foram feitas no período que precedia a viagem ao Brasil e refeitas após retornarem ao destino de origem. De uma etapa para outra, o número de respostas ‘alta’ e ‘muito alta’ (correspondendo à avaliação positiva) subiu de 80% para 86% na questão sobre o Brasil como parceiro de negócios e investimentos; de 83% para 90% sobre a qualidade de produtos e serviços brasileiros; de 65% para 81% no item criatividade e inovação dos produtos brasileiros; e de 77% para 90% na questão sobre profissionalismo dos empresários brasileiros.

Na pesquisa realizada também com empresas brasileiras, 70% dos respondentes registraram aumento nas vendas para os parceiros convidados e 30% disseram ter aberto novos mercados.

Abicalçados

A Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) participou do Projeto trazendo compradores da França, Emirados Árabes e África do Sul. Conforme levantamento da entidade, a projeção de negócios para os próximos 12 meses ultrapassou US$ 40 milhões. Participaram junto à Abicalçados, compradores da Galeries Lafayette (França), Shoe Mart (Emirados Árabes) e Palazzo Pitti (África do Sul). 

 

Fonte: Imprensa Apex-Brasil / Unidade de Promoção de Imagem Abicalçados

 

 

 

Published in Acontece

 

 

 

Expectativas de negócios gerados com as agendas chega a mais de US$ 41 milhões para os próximos 12 meses

Com a expectativa de mais de US$ 41 milhões em negócios gerados para os próximos 12 meses, os calçadistas que participaram do Projeto Copa do Mundo, trazendo compradores da França, Emirados Árabes e África Sul, saíram satisfeitos. O balanço está sendo divulgado pelo Brazilian Footwear, programa de internacionalização da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), que participou, com os seus associados, da ação realizada pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Participaram do Projeto, que teve agendas em São Paulo, Porto Alegre, Fortaleza e Belo Horizonte entre os dias 13 de junho e 9 de julho, compradores da Galeries Lafayette (França), Shoe Mart (Emirados Árabes) e Palazzo Pitti (África do Sul).

Unindo negócios e entretenimento, os estrangeiros assistiram partidas da Copa e visitaram unidades industriais, showrooms e lojas de 29 marcas calçadistas: Amazonas, Ana Capri, Arezzo, ADG, Carrano, Cartago, Carmen Steffens, Cristófoli, Democrata, Enrico Boaretto, Esdra, Havaianas, Ipanema, Guilhermina, Grendene, Grendha, Jorge Bischoff, Luiza Barcelos, Luz da Lua, Melissa, Paolo Sesto, Paquetá, Rider, Sarah Chofakian, Schutz, West Coast, Werner, Zaxy e Zeferino.

Segundo Patrícia Ledur, da Unidade de Promoção Comercial da Abicalçados, que acompanhou as agendas em Porto Alegre e Fortaleza com os compradores da Galeries Lafayette e Shoe Mart, tanto os compradores quanto as marcas avaliaram o projeto positivamente. “Unir o Mundial com negócios foi uma forma eficiente de alavancar as exportações num momento complicado para a indústria brasileira de calçados”, avalia.

Os compradores da Galeries Lafayette tiveram uma agenda extensa. Assistiram o jogo entre França e Honduras, em Porto Alegre, conheceram a unidade da Paquetá, em Sapiranga, a badalada rua Oscar Freire, em São Paulo, e encerraram o circuito em um showroom organizado na sede da Abicalçados, em Novo Hamburgo/RS. “Foi uma experiência muito interessante”, avalia Jérome Raffy, comprador da rede francesa.

Emilene Taís de Oliveira, do departamento de Exportação da Jorge Bischoff, empresa que participou do showroom na Abicalçados, ressalta que a ação facilitou um contato que a marca já vinha tentando há mais tempo. “Os compradores franceses demonstraram muito interesse no nosso produto, especialmente nas sapatilhas, saltos não tão altos e um modelo de bolsa do segmento de luxo”, avalia Emilene, ressaltando que, apesar da marca ainda não ser trabalhada pela Galeries Lafayette, registra um crescimento médio de 15% a cada coleção lançada no mercado francês.

Fortaleza

Partindo de um extremo para outro do País, a Abicalçados acompanhou os compradores da Shoe Mart em Fortaleza. Os importadores da cadeia de 130 lojas espalhadas em 20 países árabes saíram satisfeitos. Para Bharat Melwani, a moda calçadista verde-amarela tem muito a oferecer ao mundo. “Entendemos melhor a força do setor no Brasil. As visitas nos deram confiança para incrementar ainda mais os negócios com o País no futuro”, comenta o comprador, que também assistiu ao jogo entre Brasil e Colômbia.

Marcelo Jahns, trader da Grendene, empresa visitada pela Shoe Mart em Fortaleza, ressalta que os negócios com a rede árabe devem ser impulsionados a partir do evento. “Já fornecemos nossos produtos à Shoe Mart através de nosso distribuidor localizado em Dubai, porém após as visitas nas fábricas de Fortaleza e Sobral esperamos aumentar nossos negócios com este cliente”, avalia.

Belo Horizonte

Por fim, os compradores da Palazzo Pitti, da África do Sul, estiveram em Belo Horizonte, onde assistiram ao jogo entre Brasil e Alemanha, visitaram a fábrica da Luiza Barcelos, os showrooms das marcas Jorge Bischoff e Luz da Lua, e se reuniram com representantes da Paolo Sesto . A coordenadora da Unidade de Promoção Comercial da Abicalçados, Letícia Sperb Masselli, que acompanhou as agendas, ressalta que os importadores ficaram “encantados com a recepção e os produtos apresentados”. “Eles saíram do Brasil com a compra de mil pares de calçados, número que pode ser quadruplicado até o final deste ano”, conta.

O gerente comercial da Paolo Sesto, Guilherme Falleiros, destaca a qualificação dos compradores e a efetividade do projeto. “Foi muito importante, pois foi a oportunidade de apresentarmos nossas linhas ao cliente de maneira focada e objetiva”, avalia Falleiros.

Fonte: Unidade de Promoção de Imagem Abicalçados

 

 

 

Published in Acontece

 

 

 

Abicalçados promove projetos Comprador e Imagem durante a Francal

A 46ª edição da Francal, feira que acontece entre os dias 15 e 18 deste mês, no Anhembi, em São Paulo, está promovendo o calçado brasileiro para o mundo. Além dos 1,5 mil importadores que são esperados na feira, a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) promove os projetos Comprador e Imagem. O primeiro com sete importadores de grande potencial selecionados pela entidade e o segundo com 14 jornalistas dos principais veículos setoriais do mundo.

Depois de um evento de recepção, no hotel em que estão hospedados, os compradores e jornalistas participaram ativamente deste primeiro dia de evento. Segundo Darran Carter, da Alsirhan Shoes, do Kuwait, os produtos brasileiros se destacam pela qualidade. “Costumava comprar sapatos de Portugal, Espanha, China, Itália e Brasil. Agora compramos somente da Itália e Brasil. Viemos para a Francal procurando incrementar as linhas masculinas e também para introduzir nas lojas produtos dos segmentos feminino e infantil”, destaca.

Para Yury Zverev, do Klondike Gourd, da Rússia, a primeira visita à Francal tem sido satisfatória. “Buscamos produtos do segmento conforto feminino, masculino e infantil”, comenta. Segundo ele, para o segmento infantil existe uma dificuldade que restringe as compras. “Na Rússia algumas restrições importantes para o segmento infantil”, informa Zverev. A legislação russa atual obriga o uso de materiais naturais nas partes que estão em contato com a pele da criança, logo essas peças não podem ser feitas com materiais sintéticos.

Já trabalhando com uma fama de marcas brasileiras, Alfonso Bejarano, da Calzado Nueva Moda, da Colômbia, diz que veio à feira em busca de novas marcas, “novas possibilidades para a empresa”.  “O produto brasileiro é muito bem aceito pelo consumidor da Colômbia devido à qualidade e conforto”, destaca Bejarano.

Imagem

No âmbito de imagem, a Abicalçados trouxe 14 jornalistas estrangeiros para a feira calçadista.  Sérgio Camacho, da revista Carrusel, está pela primeira vez na Francal. Segundo ele, que escreve uma matéria sobre calçados femininos brasileiros, chama a atenção a qualidade, as cores e o design do produto verde-amarelo. “Estamos ouvindo marcas que já vendem para a Colômbia e outras que trabalham com moda e tendências genuinamente brasileiras”, conta. 

Pela primeira vez no Brasil, o editor da Hearst China, Yu Jiahua, gostou dos produtos que viu. “Estamos buscando produtos femininos, pois escrevemos sobre moda para mulheres”, diz.

As agendas dos comunicadores internacionais segue amanhã com um roteiro pela cidade de São Paulo e quinta-feira com uma visita à badalada rua Oscar Freire. 

Tanto os compradores como os jornalistas foram trazidos para o Brasil através do Brazilian Footwear, programa de apoio às exportações de calçados mantido pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) com o apoio da Apex-Brasil. 

Fonte: Unidade de Promoção de Imagem Abicalçados

 

 

 

Published in Acontece

 

 

 

Entre janeiro e maio deste ano, a exportação de calçados para a região cresceu 26,3%

O desejo das empresas nacionais de exportar seus produtos para os países do Oriente Médio não para de crescer. O grande potencial de consumo e a busca por bens de maior valor agregado são os dois principais fatores de atração para este mercado. Entre os setores que reforçam esse discurso e que elegeram para os próximos anos nações árabes como alvo estão o de calçados e o de têxteis. A indústria de alimentos também enxerga a região com bons olhos.

No primeiro trimestre de 2014, a exportação de alimentos para o Oriente Médio atingiu um índice recorde. Apesar de crescer apenas 1,61% em volume ante o mesmo período de 2013, as vendas para a região somaram quase quatro milhões de toneladas. "O setor de alimentos é o mais beneficiado atualmente pelo comércio entre Brasil e Oriente Médio", diz o CEO e diretor-geral da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, Michel Alaby, em entrevista ao DCI.

De acordo com ele, os itens que mais atraem a atenção dos árabes são carnes de frango processadas e pratos congelados. A demanda explica o interesse da gigante BRF em ampliar sua atuação no local.

No ano passado, a companhia lançou a pedra fundamental da sua primeira fábrica construída fora do Brasil, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. Foram investidos US$ 120 milhões para erguer a unidade. No local serão produzidos empanados, pizzas, hambúrgueres, industrializados e marinados, segundo a empresa.

O Oriente Médio já responde por 32% das exportações da BRF e deve ampliar esse índice ao longo dos próximos anos. "É possível estender a nossa liderança e a nossa presença neste mercado halal", disse o diretor-presidente da BRF, Cláudio Galeazzi, durante a conferência de resultados do primeiro trimestre de 2014. Halal é uma certificação que atesta que os alimentos são produzidos de acordo com a lei islâmica.

"A estratégia desenhada para o mercado externo estabelece como prioridade aumentar cada vez mais as vendas de itens de maior valor agregado", finalizou.

Calçados

O segmento calçadista também voltou suas atenções ao mercado árabe. Dos sete países definidos como alvo para o próximo biênio um é o Emirados Árabes Unidos. "Começamos a olhar com mais atenção para o Oriente Médio há cinco anos, quando detectamos oportunidades, principalmente, em relação às sandálias", afirma o presidente executivo da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Heitor Klein. De acordo com o executivo, os negócios entre essas regiões continuarão crescendo em 2014.

Entre janeiro e maio deste ano, a exportação de calçados para o Oriente Médio cresceu 26,3%, em valor ante o mesmo período de 2013, atingindo R$ 32,5 milhões. Por outro lado, o volume de pares vendidos aumentou 42,5% ante o acumulado nos primeiros cinco meses do ano passado, chegando à casa dos 3,86 milhões de pares.

A brasileira Target, responsável pela exportação dos calçados da marca Piccadilly, projeta uma alta de 35% nas embarcações para o Oriente Médio em 2014. "Nós já exportamos para os países árabes há 14 anos. É um mercado aberto para tudo e o imposto é baixo", afirma o representante de exportações da Piccadilly e diretor da Target, Felippe Tiago Fleck.

Ele ainda acrescenta que o fato de alguns países árabes, como o Catar, atraírem cada vez mais um contingente maior de turistas ampliará o consumo na região.

Têxtil

Há quatro anos, as marcas têxteis também começaram a voltar sua atenção para o mercado árabe. O interesse do público da região por itens de maior valor agregado foi o grande impulsionador da aposta.

"Após a crise mundial de 2008, percebemos que era importante buscar novos mercados-alvo, e o Oriente Médio virou uma grande aposta, até mesmo pelo fato de não ser um destino tradicional", diz o presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), Rafael Cervone. A entidade disponibilizou para os seus associados uma consultoria especializada no mundo árabe para facilitar os seus processos.

Nos primeiros três meses deste ano, os embarques do setor têxtil para os países do Oriente Médio cresceram em torno de 20%, de acordo com a Câmara Árabe.

Fonte: DCI

 

 

 

Published in Acontece

 

 

 

Companhias bilionárias, investidores entusiasmados, planos de expansão global. Por que nenhum mercado de moda cresce tanto quanto o brasileiro — e o que empresas como a sapataria Arezzo estão fazendo para crescer junto

Campo Bom - O mineiro Alexandre Birman é um viciado em sapatos — os de salto agulha, de preferência. Enquanto executivos e empresários normais interrompem conversas para checar e-mails no telefone, Birman se distrai o tempo todo porque analisa os sapatos de cada mulher com quem cruza na rua, esbarra em eventos ou mesmo vê na televisão.

Essa espécie de distúrbio social começou a se manifestar aos 12 anos, quando presenteou o pai, Anderson, com um mocassim marrom feito, da concepção ao acabamento, por ele.  

“Queria que meu pai nunca esquecesse, então caprichei”, diz Birman, que hoje comanda uma das maiores empresas de moda do Brasil, a sapataria Arezzo. A rigor, as origens de tanta obsessão remontam a 1972, quando o pai e o tio começaram a usar um galpão para fabricar sapatos e fundaram a empresa (o nome veio após uma pesquisa aleatória de cidades no mapa da Itália).

Alexandre nasceu quatro anos depois e cresceu dentro da fábrica, que teve um começo marcado pela modéstia. Com a Arezzo em dificuldades, ele contou com a ajuda do pai para fundar, aos 19 anos, sua própria marca de sapatos femininos, a Schutz. Nos 12 anos seguintes, pai e filho concorreram um com o outro.

Até que, em 2007, decidiram se unir novamente. Começou ali uma era de ouro para a Arezzo, que quintuplicou de tamanho desde então. Hoje, a empresa vale 2,6 bilhões de reais. Pai e filho figuram na lista de homens mais ricos do país, com uma fortuna de 1,7 bilhão de reais.

Não existe empresa de sapatos como a Arezzo. Alexandre Birman alimenta sua obsessão criando modelos num ritmo alucinado. Mais de 300 pessoas trabalham no centro de inovação da empresa, em Campo Bom, cidadezinha gaúcha a 60 quilômetros de Porto Alegre. Das pranchetas, saem 1 000 novos modelos de sapatos femininos por mês.

Birman coordena pessoalmente a triagem e escolhe os cerca de 170 modelos que chegam às prateleiras. Esse ritmo ajuda a explicar por que a Arezzo vende tanto. Separada em quatro marcas para públicos distintos, a Arezzo pode cobrar tanto 80 reais por uma sapatilha quanto 2 400 reais por uma sandália de couro de cobra. No ano passado, a empresa superou duas barreiras simbólicas.

Vendeu mais de 10 milhões de pares de sapatos e faturou 1 bilhão de reais. “Estamos investindo para virar uma das maiores empresas de sapatos do mundo”, diz Alexandre Birman, que, aos 37 anos, é o mais jovem entre os 100 executivos mais influentes do mundo do sapato.

Fonte: exame.abril.com

 

 

 

Published in Acontece

 

 

 

Musas apostaram em modelos semelhantes nas cores da bandeira

Foi dada a largada para a Copa do Mundo no Brasil. Nesta quinta-feira, 12, as 15h15 aconteceu a abertura oficial do mundial, e o destaque maior ficou por conta da apresentação dos músicos Pitbull, Claudia Leitte e Jennifer Lopez. Confira os looks usados:

Claudia Leitte usou um body de mangas longas da Água de Coco desenvolvido em parceira com o stylist Rodrigo Thomaz, que também é responsável pelo marketing da marca. A peça, na cor azul, tem referências das camisas oficias, com brasão da seleção na parte frontal e número nas costas. A modelagem, sem decotes ou maiores detalhes, evidenciou a superfície toda bordada com cristais Swarovski. A sandal boot tinha mesma cor do body, porém com detalhes pretos.

A cantora Jennifer Lopez, seguiu o mesmo conceito, com um body na cor verde, com muitos recortes cobertos por malha transparente. A peça também era toda bordada e recebeu canutilhos que formavam franjas nos acabamentos. A meia, também ganhou aplicações de brilho, e nos pés, a escolha foi uma ankle boot de Christian Louboutin com transparência e cristais no cabedal.

O visual de Pitbull era mais despojado, com uma camisa amarela com brasões e escrito Brasil. A peça foi combinada à uma calça branca com a barra dobrada, deixando à mostra o mocassim branco. Os óculos escuros, marca registrada de Pitbull, finalizaram o look.

Fotos: Reprodução/ AgNews

Fonte: Usefashion

 

 

 

Published in entertainment

 

 

 

Foto: Divulgação Feira ocorreu entre os dias 2 e 5 de março, na Itália.

Apesar do sentimento de uma baixa na visitação, com corredores e estandes menos movimentados, as empresas verde-amarelas aproveitaram a theMicam para estabelecer novos contatos, reforçar o posicionamento com clientes e fortalecer a imagem no mercado europeu. Juntos, os 38 expositores apoiados pelo Brazilian Footwear - Programa de Incentivo às Exportações de Calçados, desenvolvido pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) com o apoio da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), realizaram 892 contatos, sendo 477 novos, com compradores da Europa, Américas do Norte e Central, Ásia, África e Oceania.

 Durante os quatro dias da theMicam, que ocorreu de 2 a 5 de março, foram fechados 225 pedidos, que resultaram em cifras de US$ 6 milhões em negócios imediatos. A expectativa para os próximos 12 meses é alcançar o montante de US$ 17 milhões em negócios decorrentes da feira. "Mesmo observando um número menor de visitantes nesta edição, as empresas nacionais fecharam bons negócios com clientes já tradicionais e conseguiram abrir novos mercados, o que sempre gera uma expectativa positiva para a estação", destacou Cristiano Körbes, gestor de Projetos da Abicalçados.

 A feira italiana recebeu 1.589 expositores, sendo 631 de outras nacionalidades. O Brasil foi a quinta maior delegação de estrangeiros e mostrou a que veio. Com 25 pedidos tirados no evento, a Anatomic Gel abriu mercado no Irã, Argélia e Portugal. "A feira foi boa, estável. Trabalhamos bastante e atendemos grandes clientes da Inglaterra, Alemanha e França, além de conseguir entrar em países que ainda não estávamos trabalhando", contou João Conrado, CEO da Anatomic Gel. Também satisfeito com os resultados, Guilherme Falleiros, gerente comercial da Paolo Sesto, comemorou a primeira participação da marca na theMicam. "A feira foi bem positiva. Embora tenha feito todo o trabalho de pré feira, não imaginava esse retorno tão positivo", frisou Falleiros.

 Sempre com o estande cheio, a Carrano abriu mercado na Irlanda e realizou 26 pedidos. Para Fernando Galhego, gerente de exportação da marca, o evento superou as expectativas. "A nossa marca sai consagrada dessa feira. Muitos clientes da Europa que compravam só verão voltaram para fazer pedidos de inverno, ou seja, agora não temos mais distinção entre as coleções." No mesmo caminho está a Werner. A marca fechou 17 pedidos para países como Japão, Itália, Rússia, Grécia e Austrália. "A theMicam foi produtiva. Os clientes nos conhecem pela inovação de modelos e materiais e toda edição retornam ao nosso estande. Além disso, a Werner está investindo na imagem da marca para reforçar o posicionamento, seja através de anúncios no theMicam Today e na Vogue Accessory Itália ou mesmo em banners no acesso principal", disse Leonardo Sauter, representante de exportação da Werner.

 Relacionamento

Mas não são somente pedidos que movimentam uma feira. O relacionamento com clientes potenciais ajuda a garantir negócios e construir uma relação de confiança. Durante a theMicam, a Abicalçados recebeu visitas importantes da Rússia e do Japão. Os russos do La Moda, que iniciaram uma aproximação com a entidade na Couromoda, em janeiro, e do Klondike, que foram contatados na Moshoes de setembro do ano passado, aproveitaram para conhecer as marcas nacionais, assim como os japoneses do Isetan, que realizaram uma rodada de negócios com o Brasil em dezembro de 2013 em Novo Hamburgo. "É muito importante fazer essa manutenção de relacionamento na theMicam, onde conseguimos mostrar um bom número de empresas nacionais. Todo esse conjunto sistemático de encontros e reuniões ajuda a fortalecer os laços entre compradores e empresas", reforçou Körbes. O gestor de Projetos da Abicalçados salientou ainda que já estão agendadas visitas aos clientes russos em junho, quando o Brazilian Footwear irá promover um showroom em Moscou.

 Expositores

Participaram da feira, através do Brazilian Footwear, as marcas: Cristófoli, Itapuã, Itsandal, Itsandal Kids, New Face, Biondini, Para Raio, Superstar, Starzinho, Paradoxo, Mary Pepper, Tradeffort, Anatomic & Co, Boaonda, Carrano, Cecconelo, Democrata, Huberto S. Muller, Miucha, Kildare, Lilly´s Closet, Dumond, Capodarte, Madeira Brasil, Sapatoterapia, Tanara Brasil, Kolosh Brasil, Werner, Vizzano, Beira Rio, Moleca, Molekinha, Modare, Zeket, Indiana,  Sollu, Rider, Ipanema, Grendha, Ipanema GB, Tabita, Enrico Boaretto, Paolo Sesto, Capelli Rossi, Usaflex, Stéphanie Classic, Rio Couture, Andacco, Jorge Bischoff, Loucos e Santos, Guilhermina, Raphaella Booz e Sarah Chofakian.

 A próxima edição da theMicam está marcada para 31 de agosto e vai até 3 de setembro.

Fonte: Exclusivo

 

 

 

Published in Acontece

 

 

 

Foto: DivulgaçãoA marca comercializa as novidades para lojas de todo o Brasil.

O Carnaval é tempo de festejar! Para oferecer conforto e versatilidade aos foliões da data, a ser celebrada no dia 4 de março, a Coca-Cola Shoes (Picada Café/RS) desenvolveu uma linha especial de sandálias de dedo. Os diversos modelos surgem com grafismos que exaltam criatividade, evidenciando estampas coloridas e alegres, além de tiras exclusivas.

A modelagem tem opções para homens e mulheres, com tamanhos que variam entre as numerações 33 e 44. A marca comercializa as novidades para lojas de todo o Brasil. 

Fonte: Exclusivo

 

 

 

Published in Acontece

A Empresa

Entre em contato conosco:

E-mail: This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
Rua Rangel Pestana, 23 Centro
Jaú - São Paulo - Brasil
Fone: (14) 3625-4489
Facebook
Skype: bigdesignerjau

Pés famosos ou não